SEO (Passo a passo) na prática: como atrair clientes com o Google

SEO (Passo a passo) na prática: como atrair clientes com o Google

Muito se fala em SEO e em como esta estratégia pode ser um ótimo meio de atrair novos clientes para qualquer negócio, mas você sabe o que é e como usá-lo na prática?

Aqui apresentaremos tudo sobre SEO e hoje você vai entender de uma vez por todas tudo o que é preciso saber do básico ao avançado para começar e alcançar mais clientes com o Google.  

Para isso, sinta-se à vontade para ir direto ao que você mais tem dúvida ou entenda o SEO de ponta a ponta seguindo os temas abaixo:


Google Search Console: como atrair clientes com o Google
3 ferramentas de SEO gratuitas e poderosas
SEO na prática: tudo que você precisa entender para começar 
Como implementar o SEO nas páginas do seu site

 

Como atrair clientes orgânicos com o Google


Para entender como atrair clientes é necessário entender como o Google funciona, certo?

O objetivo inicial do Google em 1998 era digitalizar pesquisas de Stanford para trabalhar em teses e, com este fim, foi criado um algoritmo para facilitar o rastreamento destes documentos.

Nisso, Larry Page e Sergey Brinen enxergaram a oportunidade de suas vidas, afinal, com o algoritmo também era possível encontrar qualquer documento em qualquer site.

Welcome to GOOGLE, baby!

A partir deste ponto o Google começou a focar intensivamente na experiência do usuário e, para eles, a experiência é melhor ao encontrar o que você procura com o mínimo de cliques!

Em resumo, os servidores do Google funcionam para organizar os conteúdos e sempre apresentar os sites mais relevantes e com o conteúdo mais completo para responder uma dúvida.

A ferramenta de busca do Google possui rastreadores que varrem em segundos toda a web à procura de novos conteúdos ou da atualização deles em páginas antigas.

Estes rastreadores foram criados e aprimorados pelo próprio Google ao longo do tempo e podem ser chamados de crawlers, spider ou bots (robôs).  

A partir de uma pesquisa feita no buscador, várias páginas são visitadas e indexadas no site de busca, isto é, são organizadas de uma forma clara para qualquer usuário.

Essa organização, também chamada de indexação, faz o uso de palavras-chave para o site de busca apresentar as melhores páginas como sugestão de resultados.



Leia também: 12 mil visitas orgânicas por mês! 3 dicasmatadoras para o seu blog de marca

 

Este processo de busca na internet se chama SERP, do inglês Search Engine Results Page.

Ao considerar que a missão do Google é organizar as informações do mundo todo e torná-las universalmente acessíveis e úteis, a estratégia é produzir o conteúdo útil que ele vai entregar.

Para ajudar qualquer pessoa a tornar seus conteúdos encontráveis pelo buscador, a empresa ainda disponibiliza diversas ferramentas gratuitas como, por exemplo, o Google Search Console.

O Google Search Console é um serviço que nos permite acompanhar o status de indexação e aponta caminhos de otimização para trazer visibilidade para os seus sites.

Ao saber que atualmente o Google domina 94% de todo o tráfego orgânico na internet, isto abre oportunidades sem precedentes para a sua empresa.

Afinal, este fato significa que ao invés de ir atrás de clientes eles virão até você então, sim, a sua estratégia de SEO precisa, obrigatoriamente, considerar o Google como prioridade.


Mas afinal, o que é e para que serve o SEO?


SEO vem do termo em inglês “Searching Engine Optimization”, ou seja, otimização de sites para buscadores de conteúdo.

A otimização é o conjunto de boas práticas e estratégias com o objetivo de melhorar o posicionamento de um site nas páginas de resultados naturais nas buscas.

E por que a sua empresa deve estar otimizada para ser encontrada pelo Google? Para atrair mais pessoas interessadas no seu negócio!

Quando seu site está bem posicionado mais pessoas o encontram e aumentam as chances de conversão, isto é, um lead, uma compra, um envio de formulário ou agendamento de consultas.

 

3 ferramentas de SEO gratuitas e poderosas


Antes de começar a escrever seu conteúdo para atrair clientes, é essencial conhecer quais são os termos de busca mais solicitados em relação ao seu negócio.

Para isso, é essencial entender quais são as palavras-chave com maior possibilidade de performance, ou seja, a pergunta é “como meus clientes pesquisam para me encontrar?”

Para descobrir essas palavras sugerimos abaixo algumas ferramentas poderosas e gratuitas.

 

Google KeywordTool

Para usar essa ferramenta será necessário criar ou ter acesso a uma conta no Google ADS.

A Google KeywordTool é um serviço do próprio maior buscador do mundo, por isso, com essa ferramenta gratuita você conta com todo o poder do Google em suas mãos.

Você pode ver o volume de pesquisas e o histórico de métricas de várias palavras-chave e entender como as pessoas pesquisam para adequar seus conteúdos dentro desta lógica.

Além disso, você ainda pode descobrir novas palavras-chave e ter ideias de combinações de termos que podem ajudar você a alcançar pessoas com interesse nos seus produtos ou serviços.

Acesse clicando aqui


UbberSuggest

Na ferramenta UbberSugest você tem acesso gratuito a uma série de informações extras sobre as palavras-chave e os sites que está pesquisando.

Dentro da ferramenta é possível, por exemplo, analisar o tráfego de sites concorrentes e entender quais são as suas palavras-chave com mais relevância.

Além disso, você também tem acesso a seções com ideias de palavra-chave e ainda conhece as principais páginas na web com melhor ranking em cada termo buscado.


Atualização

Se você está lendo este conteúdo de 2020 em diante, agora a ferramenta limitou a 10 consultas por dia, logo, antes de ir até ela o ideal é usá-la para validar as suas ideias de conteúdo. 

Acesse clicando aqui.

 

SemRush

Esta é com certeza uma das mais robustas ferramentas para um fluxo de trabalho completo e garante uma maior inteligência competitiva para qualquer profissional de SEO.

Aqui você pode, por exemplo, fazer auditorias técnicas de SEO e backlinks, coletar núcleos semânticos, monitorar sua posição no Google e, claro, ter ideias para obter mais tráfego orgânico.

Mas, da mesma forma que a ferramenta anterior, a Semrush tem um limite de 10 consultas por dia.

Apesar de não ser totalmente gratuita, com certeza vale o investimento.

Acesse clicando aqui.

 

SEO na prática: tudo que você precisa entender para começar  

Como você já deve ter percebido, quando falamos de otimizar o SEO do seu site, isso significa que será necessário incluir palavras-chave estratégicas para que o Google encontre seu conteúdo.

Os robôs do Google só interpretam textos, logo, é necessário entender onde ele procura essa informação em texto para entregar os resultados de busca.

Basicamente, o buscador faz uma varredura na web à procura das palavras que o usuário digitou e além do conteúdo, as marcações no HTML do site também são lidas.

Isso significa que além da parte visível pelo usuário, o buscador interpreta a estrutura de programação do site e suas palavras-chave também devem estar ali.

Estas marcações também são conhecidas como metatags, mas não se assuste, isso é bem fácil de fazer!

Abaixo, listamos alguns dos locais mais importantes para usar as palavras-chave escolhidas para o seu site e, na sequência, você encontra uma explicação de como funciona cada ponto:


URLs: palavra-chave principal
Tittle: palavra-chave principal, é o título que será visto no Google
Description: palavra-chave principal e de apoio, é a descrição que será vista no Google.
Título e conteúdo: palavra-chave principal e de apoio, já na página do seu site.
Tag ALT (nomes de arquivos de imagem): palavra-chave principal e de apoio que represente cada imagem.

 

Metatags: entenda porque é tão importante

Talvez pareça técnico demais à primeira vista, mas vamos fazer um exercício prático agora que deixará tudo bem mais simples de se entender.

Divida a tela do seu computador entre este conteúdo e a tela inicial do Google.

Agora digite qualquer coisa que vier à sua cabeça e acompanhe o raciocínio com a gente.

 

URLs

Um bom SEO começa com uma boa URL.

Como você pode ver na sua pesquisa, a URL de todos os resultados que apareceram provavelmente tem a palavra-chave que você pesquisou, certo?

(Se não tem, parabéns, você acaba de encontrar a sua primeira oportunidade de otimização!)

Observe como é importante incluir palavras-chave em sua URL, pois assim o Google entende que ela descreve com precisão o conteúdo da página.

Ex.: www.meusite.com.br/marketing-digital


Dica: Nas URLs as palavras devem sempre ser separadas por um (-).

 

Tittle

Os títulos são mostrados na guia do navegador e nos resultados de pesquisa.

No caso da sua pesquisa ao lado, por exemplo, MUITO provavelmente a palavra-chave que você usou está no título em azul no resultado, certo?

Mas neste caso, o Tittle não é necessariamente o que você vê ali, mas sim, uma otimização que só o buscador consegue ler, pois está “por trás” da página, ou seja, no HTML.

O título do conteúdo em si aparece no H1 (vamos falar dele mais abaixo).


Leia também: Marketing de influência “sem influenciadores”: como tornarsua empresa uma autoridade


Description

As descrições são também mostradas nos resultados de pesquisa.

Como você pode ver, a palavra que você digitou no buscador aparece em destaque no “subtítulo” dos resultados.

Logo, utilize entre 120 e 130 caracteres e uma de suas palavras-chave, pois ela aparecerá em negrito como frases importantes em sua metadescrição.

Com isso, o conteúdo passa a ser atraente quando as pessoas batem o olho e observam que seu conteúdo é importante para a consulta realizada.  

Ex: Curso de Marketing Digital


Dica: Não use um pedaço da introdução e não engane os leitores nesta seção.

Quando o conteúdo é desconectado do que o título promete, isso pode impactar o tempo de permanência na página.


Além dos pontos técnicos, o Google também possui ferramentas para mensurar a experiência do usuário e uma das formas de entender isso é através do tempo que eles permanecem na sua página.

 

H1 (Heading tag) - Título Principal

Agora que você entendeu algumas das principais marcações que seu conteúdo precisa ter, vamos falar do título do seu conteúdo.  

É importante usar suas palavras-chave em seus títulos, pois os visitantes terão mais chance de ficar em uma página se puderem ver os termos que pesquisaram.

No entanto, é muito importante usar essas palavras-chave de maneira natural: escreva pensando nos seus leitores, não somente nos mecanismos de pesquisa.

No seu título deverá estar a sua Heading tag 1 (também conhecido como H1).

Ao redigir um título H1, utilize entre 55 e 60 caracteres e inclua sempre sua palavra-chave principal logo no início.


Importante: a página deve ter somente um H1, pois isso facilita para o Google na hora de entregar os resultados mais relevantes para determinada palavra-chave.

Dica: Utilize frases de impacto para que seja mais chamativo para quem estiver pesquisando, afinal, a sua principal função é levar o leitor até o seu conteúdo.
 

Conteúdo do site – H2, H3, H4... e mais palavras-chave

Agora que você já entendeu a importância das metatags, vamos falar sobre a construção do seu conteúdo.

Como você já entendeu, o uso de palavras-chave em seu conteúdo também é usado pelo Google como fator de classificação no momento da busca do seu site.

Contudo, como mencionado antes, o tempo de permanência na página também ajuda o buscador a avaliar se aquele conteúdo é de boa qualidade e melhora seu ranking nos resultados do Google.

Por isso, nessa etapa é importante citar as principais palavras-chave de caudas longas (explicamos o que é cauda longa mais abaixo) nas suas Heading Tags 1,2,3,4...

Isso significa que é necessário estruturar o seu conteúdo com base naquilo que as pessoas já buscam antes de começar a escrevê-lo.

Uma ótima forma de escrever conteúdos ricos para o Google é detectar os principais termos relacionados à sua palavra-chave principal, isto é, às palavras-chave de “cauda longa”.


Dica: é importante que cada página do seu site tenha uma palavra-chave principal, seguida por palavras-chave de apoio.


Ou seja, a sua própria URL, Tittle, Description e conteúdo da página, sem repetições.

 

O que é “cauda longa” e como usá-la na sua estratégia de SEO

O termo cauda longa surgiu em 2004 graças ao trabalho de Chris Anderson, autor do livro “Cauda longa – do mercado de massa para o mercado de nicho”.

Estes termos geralmente são associados ao contexto da busca, isto é, embora um termo isolado pareça uma ótima palavra, por vezes, o ideal é planejar o conteúdo com base nas “caudas longas”.

Palavras-chave de cauda longa são aquelas que incluem sua principal palavra em algum contexto e contribuem para que o seu conteúdo seja entregue para a pessoa certa no momento certo.

Por exemplo, o termo “Data Center” tem mais de 12.100 buscas, contudo, apesar de ter 170 buscas, a palavra associada “manutenção” de Data Center, se bem trabalhada, pode ser ótima.

Claro que só a combinação de palavras com poucas buscas não atrairia muito tráfego, mas quando combinada com outras palavras o termo pode ser fortalecido pelo contexto do conteúdo.

Além disso, você deve sempre considerar a relação entre tráfego e qualidade do público, isto é, você deve trabalhar para que o volume de pessoas que acessam o seu site seja seu público-alvo.

Por isso, tenha em mente que você deve evitar palavras-chave em excesso e fora do contexto.

Se elas forem usadas com muita frequência, pode dar aparência de manipulação e fazer com que seu site seja rebaixado nos resultados de pesquisa.

 

Exemplo de estrutura de conteúdo

Como você já deve ter percebido, é fundamental entender a importância da hierarquia das Heading Tags por três simples motivos:


Mostra para o Google as informações mais importantes do seu texto
Facilita a interpretação dos crawlers, que definirão os principais temas abordados no posts
Otimiza a leitura dos textos (escaneabilidade)

 

A ideia de escaneabilidade é o entendimento de que, quando melhor distribuído, o conteúdo pode ser visualmente mais agradável e não somente um amontoado de blocos de texto.

Para isso, é só seguir a regra básica de escrever parágrafos curtos de até duas linhas (como fizemos neste conteúdo????).

Sobre a estrutura do seu conteúdo, basicamente, pense nas Heading Tags usando o mesmo conceito de criação de um sumário.


Os títulos seriam correspondentes ao H2

1 Lorem Ipsum (conteúdo)

2 Lorem Ipsum (conteúdo)

3 Lorem Ipsum (conteúdo)

Os subtítulos seriam correspondentes ao H3

1 Lorem Ipsum (conteúdo)

1.1   Lorem Ipsum (conteúdo)

1.2   Lorem Ipsum (conteúdo)

1.3   Lorem Ipsum (conteúdo)

Os novos subtítulos seriam correspondentes ao H4

1         Lorem Ipsum (conteúdo)

1.1.1 Lorem Ipsum (conteúdo)

1.1.2 Lorem Ipsum (conteúdo)

1.1.3 Lorem Ipsum (conteúdo)

E assim por diante.

 

Tag ALT - Título e texto alternativo de imagem

Também é importante incluir palavras-chave de maneira natural nos títulos e textos alternativos de imagem, também conhecidos como ALT.

Além de contribuir com a acessibilidade para pessoas com deficiência visual que usam leitores de tela, a marcação de imagens também é útil para o Google.

Uma vez que o Google ainda não lê imagens, mas vê textos, isso significa que este recurso também é usado como um fator para a classificação da pesquisa.

Importante: imagens muito pesadas podem comprometer o carregamento da sua página.

O tempo de carregamento é outro fator essencial no processo de busca e o total de todas as imagens não pode passar de 500 kb.

 

Dica: você pode usar como exemplo a estrutura de sites concorrentes com a extensão gratuita do Google SEO IN ONE CLICK, veja o exemplo das páginas globo.com:


 

Com isso, além de avaliar Tittle, Description e Heading Tags, você ainda consegue verificar se o Canonical está igual à URL.

Canonical é uma tag inserida no código-fonte das páginas da web, indicando que elas são um conteúdo original.

A ferramenta permitirá visualizar ainda imagens de ALT e uma série de outras ferramentas, como, por exemplo, a análise de velocidade e a responsividade do site.

 

Boas práticas de SEO

Para encerrar, conteúdos mais longos tendem a dominar os resultados das ferramentas de busca nos dias de hoje.

Portanto, se você está sempre atualizando seu blog ou site com conteúdo relevante e detalhado, é esperado que muitas pessoas aumentem suas visitas orgânicas vindas do Google.

Lembre-se que para você alcançar um melhor posicionamento nos rankings o ideal é criar conteúdo com mais de 2 mil palavras e nunca o mínimo de 300 palavras.

Dicas finais:

·         Adicione conteúdos novos com regularidade
·         Evite excesso de palavras-chave
·         Nunca duplique ou reutilize conteúdos
·         Fortaleça os conteúdos antigos
·         Evite links não-naturais
·         Utilize apenas dados e fatos com boa fonte de referência
·         Tenha uma boa qualidade de escrita


Marketing de conteúdo AMZ: melhore sua visibilidade e relevância on-line

Aqui na amz|mp a sua empresa conta com uma equipe completa para alcançar mais clientes e tornar a sua empresa encontrável na internet. 

De SEO, Google Analitycs, automação de e-mails e Inbound Marketing até a produção de conteúdo estratégico, aqui você encontra todos os serviços mais procurados.

Conte com o nosso time de especialistas para ajudar o seu negócio a encontrar mais clientes com conteúdo de alto valor e estratégias assertivas aqui!

Teremos prazer em ajudar a fortalecer a presença digital da sua empresa na internet de 2020 em diante!

Conheça alguns dos projetos de produção de conteúdo estratégico que já criamos para grandes marcas como a Ticket, Gemelo Data Centers, Aon e outras empresas abaixo:

 

12 milvisitas orgânicas ao mês! 3 dicas matadoras para o seu blog de marca

 

Marketing de influência “seminfluenciadores”: como tornar sua empresa uma autoridade

Efeito sampling: conheça a poderosa ação da UnivarSolutions para fazer mais negócios B2B


28/05/2020
SEO;

A ferramenta JivoChat

Leia mais

Como criar landing page para produtos: modelo de landing page da ação para Dow pela…

Leia mais

CASE OLIN: por que e como fazer um vídeo institucional para a sua empresa?

Leia mais

Desenvolvido por amz|mp