E-commerce: 3 passos simples para começar a vender pela internet

E-commerce: 3 passos simples para começar a vender pela internet

Devido à pandemia, estima-se que o e-commerce tenha ganhado ao menos 4 milhões de novos clientes que provavelmente devem manter o hábito depois.

 

A tendência não deixa de acentuar a crise que o varejo físico já enfrentava antes, mas também se apresenta como uma ótima oportunidade para quem souber aproveitar.

 

Considerando que a quarentena praticamente forçou todo o movimento das ruas a saltarem para a internet, as vendas virtuais vêm crescendo de forma jamais vista.

 

Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm), muitos itens dispararam em vendas como brinquedos (400%), artigos esportivos (200%) e cosméticos (80%).

 

Ainda que seja claro que o mercado digital brasileiro está em um ótimo momento, sabemos que muitos empreendedores ainda têm dúvidas.

 

Afinal, como criar, escolher o que vender e se preparar para evitar dores de cabeça com o seu negócio on-line no futuro?

 

Se muitas incertezas rondam o seu negócio físico e você deseja alcançar o próximo nível, mas ainda não sabe como fazer isso, você está no lugar certo!

 

Neste conteúdo dividimos o processo para criar o seu e-commerce em 3 passos:


  • Como criar um E-commerce (loja virtual)
  • O que vender?
  • 4 pontos de atenção para não ter problemas no futuro

Como criar um E-commerce (Loja virtual)

Basicamente existem duas formas de você levar o seu negócio para vender na internet ou começar uma loja virtual do zero.

O mais usual é a construção de lojas virtuais com empresas especializadas que disponibilizam templates prontos que possibilitam a adaptação limitada às suas necessidades.
 
Outra forma é a contratação de uma empresa de programação com a vantagem de criar o seu próprio site para vendas on-line.
 
Aqui na amz|mp você encontra uma equipe completa de programadores, designers e conteudistas preparados para criar um projeto flexível e exclusivo para a sua empresa. 
 
Porém, a depender do modelo do seu negócio, é preciso ficar atento às necessidades de algumas funcionalidades como a integração com Marketplaces.
 
Só para registrar, Marketplaces são plataformas on-line que reúnem produtos de diversas lojas, oferecendo uma gama muito mais ampla de itens.
 
É como se nessa modalidade você pudesse abrir uma loja em que você pode trabalhar como um revendedor de grandes marcas e receber comissões por isso. 

Woocommerce 

Destinado aos sites criados na plataforma WordPress, a Woocommerce possui ferramentas de integração que permitem transformar blogs ou quaisquer tipos de sites em lojas virtuais.

É intuitivo o suficiente para iniciantes começarem sua loja virtual imediatamente.

Nuvemshop

Apontada como a plataforma de e-commerce líder da América Latina, a Nuvemshop entrega um conjunto de ferramentas robustas e de fácil usabilidade, ideal para os PMEs.

A única ressalva é que para realizar todas a integrações necessárias para fazer a loja virtual funcionar é necessário certo conhecimento acerca do funcionamento de um e-commerce. 

Magento

Com a vantagem de possuir planos com valores mais acessíveis, a Magento se destaca pela possibilidade de utilizar diversas extensões gratuitas.

O legal desta plataforma é que muitas das ferramentas são criadas pela equipe por trás do serviço ou pela própria comunidade de usuários.

Tray   

Esta é uma das mais completas plataformas e oferece todos os sistemas e recursos que você precisa em um único local. 

A Tray conta com um sistema integrado que vai desde ferramentas de e-mail marketing, frete, certificados de segurança, aplicativo para dispositivos móveis e loja de aplicativos.

VTEX

A VTEX é amplamente utilizada por grandes lojas virtuais como Walmart, C&A, O Boticário, Nestlé, Motorola, Coca-Cola, Ambev, entre outros.

Devido ao seu portfólio de clientes e diversidade de soluções virtuais através da tecnologia de armazenamento, esta plataforma é uma das mais completas em e-commerce na nuvem.

Ok, agora você já sabe que precisa contratar uma agência especializada ou recorrer a uma plataforma fornecedora de ferramentas para criar o seu e-commerce. Mas, o que vender?

E-commerce Brasil: o que vender?

Para te ajudar a ter uma ideia geral sobre os setores mais lucrativos de 2020, abaixo listamos alguns números interessantes e dados sobre os itens mais aquecidos no Brasil.  


  • Moda e Beleza faturam $ 5.016 bilhões. Crescimento de 13% em relação ao mês anterior.


  • Eletrônicos faturam $ 3.883 bilhões. Crescimento de 8,1% em relação ao mês anterior.


  • Brinquedos e Hobbies faturam $ 2.686 bilhões. Crescimento de 14% em relação ao mês anterior.


  • Móveis e Eletrodomésticos faturam $ 1.881 bilhões. Crescimento de 12% em relação ao mês anterior.


  • Alimentação e Cuidados Pessoais faturam $ 1.223 bilhões. Crescimento de 15% em relação ao mês anterior.


  • Video Games faturam $ 686.0 milhões. Crescimento de 9,2% em relação ao mês anterior.


  • Música fatura $194.0 milhões. Crescimento de 9,6% em relação ao mês anterior.


  • Viagens faturam $19 milhões. Crescimento de 17% em relação ao mês anterior.

Dados sobre o e-commerce brasileiro

Segundo a pesquisa We Are Social 2019, podemos entender algumas das particularidades do comportamento do consumidor virtual no país. 


Por exemplo, o hábito de realizar compras pela internet cresce 2,6% a cada ano no Brasil.


Antes de entrar no ambiente digital é interessante notar que 70% dos brasileiros têm conta bancária e somente 27% têm cartão de crédito e destes 22% são mulheres e 33% são homens.


Ainda que pareçam inexpressivos, estes números englobam cerca de 119 milhões de brasileiros com um ticket médio, ou seja, valor disponível para transações de 116 dólares por pessoa.
 
Das pessoas com acesso à internet:
 
89% pesquisam sobre produtos
90% visitam uma loja on-line
68% compram algum produto ou serviço on-line
50% compram via laptop ou desktop
45% fazem compras via celular
5% fazem compras em outros dispositivos

4 pontos de atenção para não ter problemas no futuro

Agora que você sabe como criar o seu e-commerce e o que pode vender, é fundamental que você preste atenção nos requisitos técnicos deste tipo de negócio para não ter dores de cabeça.


Confira abaixo 4 possíveis problemas que podem surgir e como se preparar para contorná-los. 

Definição do sistema de cobrança e gestão de estoque e logística de entrega 


Independente da plataforma ou agência escolhida para criar o seu e-commerce, em sua grande maioria estas possibilitarão a integração com os maiores players do mercado.


Isso significa que não existe a possibilidade de não investir em alguns serviços fundamentais para o funcionamento da sua loja virtual.


Dentro desta categoria temos os sistemas de envios (Correios, Loggi, Envio Fácil, Jadlog e Mercado Envios) e os sistemas de pagamento (Wirecard, Paypal, PagSeguro, Mercado Pago etc.).

 

Porém é essencial você entender as taxas e como funcionam cada uma delas para escolher a melhor opção e não ter surpresas no futuro. 

Definição de ERP: gestão empresarial e logística

O Enterprise Resource Planning (ERP) é um sistema de gestão empresarial utilizado para gerenciar processos e atividades de uma empresa.


Este recurso integra os diversos setores de uma operação física, inclusive a gestão de estoque e possibilita uma maior precisão nos prazos de entrega e apoio nas tomadas de decisão.


Entre alguns dos sistemas de ERP que podem ser integrados às lojas virtuais estão a Otix, Core, Sige, ArtSoft, KLP e as mais tradicionais: Links, Oracle, SAP e TOTVUS.

Avaliação do processo Conversão

Uma conversão, no e-commerce, na maioria dos casos significa compra e deixar de mapear o caminho que o consumidor fez até você é literalmente deixar dinheiro na mesa.
 
Entender essa métrica é essencial para analisar a efetividade de suas páginas e melhorar cada vez mais a experiência de compra dos clientes que visitam a sua loja virtual.
 
Para isso, é recomendável que você e sua equipe adotem uma política de testes para evitar que qualquer dificuldade técnica ou processual de compra possa impossibilitar uma venda.

Pesquisa sobre abandono de carrinho 

O abandono de carrinho é aquela situação em que o usuário coloca itens no carrinho virtual, mas não finaliza a compra.


É aí que se encontra sua maior probabilidade de venda e você precisará focar parte dos seus esforços para entender como o cliente chegou até ali e como você pode resgatá-lo.


Muitas medidas podem ser tomadas para trazer o cliente de volta e uma das mais eficazes, por exemplo, é o investimento em estratégias de remarketing.


Com esta estratégia é possível direcionar anúncios para os clientes que abandonaram a compra e convidá-los a voltar ao seu e-commerce para fechar negócio com você.


Caso ainda tenha dúvidas tanto sobre os serviços de criação, integração com ferramentas ou a veiculação de anúncios estratégicos para a sua loja virtual conte com a nossa equipe!

AMZ SISTEMAS: E-COMMERCES COMPLETOS E PERSONALIZADOS PARA O SEU NEGÓCIO

Na amz|mp oferecemos os principais serviços fundamentais para o funcionamento do seu e-commerce.

 

De SEO, Analitycs, automação de e-mails e Inbound Marketing a plataformas automatizadas de relatórios e metas para e-commerce, aqui você encontra todos os serviços mais procurados.

 

Conte com o nosso time de especialistas para ajudar no desenvolvimento de sistemas completos e crie um e-commerce personalizado para o seu negócio clicando aqui!

 

Teremos prazer em ajudar a fortalecer a presença digital da sua empresa na internet de 2020 em diante!

 

Conheça alguns dos projetos de e-commerce que já criamos para grandes marcas como a Ticket, Aon e outras empresas aqui.

08/05/2020
e-commerce
marketing digital
propaganda
conteúdo
SEO

A ferramenta JivoChat

Leia mais

Como criar landing page para produtos: modelo de landing page da ação para Dow pela…

Leia mais

CASE OLIN: por que e como fazer um vídeo institucional para a sua empresa?

Leia mais

Desenvolvido por amz|mp